Rogue One chegou aos cinemas finalmente, e as primeiras reações são muito positivas e certamente será um filme com enorme aclamação da crítica. É sempre bom quando um filme é bem recebido, mas surge a pergunta, este prequel corresponde às expectativas?

O filme segue a história de uma menina órfã com nome de Jyn ERSO, que ainda criança é afastada de seu pai, Galen, devido à exigência do diretor Krennic para que ele trabalhasse na construção da arma mais poderosa do Império, a Estrela da Morte. Criada por Saw Gerrera, ela teve que aprender a sobreviver por conta própria ao completar 16 anos. Já adulta, Jyn é resgatada da prisão pela Aliança Rebelde, que deseja ter acesso a uma mensagem enviada por seu pai a Gerrera. Com a promessa de liberdade ao término da missão, ela aceita trabalhar ao lado do Capitão Cassian Andor e do robô K-2SO.

Rogue One é uma verdadeira mina de ouro de riqueza nostálgica para todos os fãs de Star Wars. Felicity Jones e seu grupo de patriotas mercenários são uma adição muito bem vinda para as forças de rebelião. Você vai adorar odiar Orson Krennic, assim como você vai adorar amar Jyn ERSO e seu grupo de guerreiros.

Jyn ERSO é capaz de esculpir o seu próprio caminho, evitando as amarras de detalhes existentes. Pela primeira vez, temos um filme de sucesso que se expande para mundos existentes, permanecendo perfeitamente contido em si mesmo.

Há muita ação, mas nada que ameace ofuscar os personagens, e as cenas são incrivelmente bem executadas. Você já ouviu falar que este era mais um filme de guerra corajoso e isso é verdade, porém diferentemente da maioria dos filmes recentes, você fica apostando no sucesso dos personagens envolvidos, e há realmente uma sensação de perigo e tensão que permeia cada cena de batalha.

Darth Vader é usado com moderação, mas de forma muito eficaz.

Existem alguns elementos de Rogue One que chegam a incomodar, mas não podem ser tratados como problemas, podemos citar aqui alguns elementos do enredo que foram subdesenvolvidos, e um desejo de ver mais da relação entre Orson Krennic e Galen ERSO.

O Diretor Gareth Edwards conseguiu reunir um elenco de primeira qualidade, e enquanto você poderia argumentar que os gostos de Jiang Wen e Riz Ahmed não combinam muito com os outros, não há um grande impacto nesse quesito. Felicity Jones é excelente como Jyn ERSO, e você não terá problema algum em acreditar que sua equipe iria arriscar tudo para segui-la para a batalha. Diego Luna oferece um suporte fantástico como Cassiano Andor, que traz mais crueldade para a mesa do que você jamais poderia esperar. Donnie Yen como o cego guerreiro Chirrut Imwe e Alan Tudyk como K-2SO fornecem as maiores risadas e os momentos mais emocionantes no filme.

REVISÃO GERAL
Atuação
Efeitos Visuais
Direção
Roteiro
COMPARTILHAR